Unimed Online

25 de maio de 2012 - Edição nº76

Nossa Unimed

Projeto piloto introduz conceito de Atenção Primária na lógica assistencial da Unimed-BH

Mais um movimento inovador no cenário da saúde suplementar foi lançado pela Unimed-BH nessa quinta-feira, 24, durante o Programa Quinta Especial. O Programa de Aprimoramento em Atenção Primária (PROAAP), desenvolvido como piloto em parceria com a Unimed Vitória, chega para introduzir os conceitos da atenção primária na lógica assistencial das Cooperativas. A primeira etapa do projeto consistirá no desenvolvimento de médicos cooperados de ambas as Singulares.

“Trazer essa discussão à Cooperativa é uma das diretrizes para a busca da sustentabilidade do modelo de assistência hoje praticado pela Unimed-BH. A nossa aposta é na mudança, na quebra de paradigmas a partir do desenvolvimento de um novo modelo que, certamente, representará um marco para a nossa história, talvez, até mesmo para toda a saúde suplementar brasileira”, disse o diretor de Provimento de Saúde, Luiz Otávio Andrade.

De acordo com o presidente da Unimed Vitória, Márcio Almeida, o projeto representa um grande avanço para o Sistema Unimed. “Estamos discutindo, há cerca de três anos, a viabilidade de um novo modelo assistencial e agora decidimos colocar em prática essa nova ideia para colher os frutos nos próximos anos. Para isso, contamos com o engajamento dos cooperados participantes do projeto”, afirmou.

Formação de multiplicadores. Um grupo de 20 médicos (15 da Unimed-BH e cinco da Unimed Vitória), com formação em Clínica Médica e Pediatria e atuação em práticas de atenção primária, participará de seis módulos ministrados por palestrantes nacionais e internacionais nos próximos meses. Serão 104 horas de atividades letivas e 40 horas de tutoria. Ao final, eles estarão preparados para atuar como multiplicadores.

Um dos cooperados da Unimed-BH integrantes do grupo é o clínico Cláudio Candiani, que também atua no sistema público de saúde de Belo Horizonte. “Essa iniciativa piloto é uma grande solução para o sistema se sustentar no futuro e poderá ser um salto para nós, médicos. Hoje, já temos uma experiência de atenção primária no Brasil, por meio do Programa da Saúde da Família, que acontece com poucos recursos. Um modelo como esse, com mais investimentos, poderá ser um grande avanço para a saúde suplementar”, afirma o cooperado.

Primeiro encontro. O módulo introdutório foi ministrado nesta sexta-feira, 25, pelo médico Luis Pisco, de Portugal. Ele é professor convidado do Departamento de Medicina Geral e Familiar da Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa e professor convidado do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas.

A coordenação do PROAAP está a cargo da Universidade Corporativa, uma nova gestão da Unimed-BH, criada no segundo semestre de 2011 para implantar iniciativas de desenvolvimento dos cooperados e do corpo clínico dos serviços próprios.